Diário de 1 Ano em Portugal (Agosto/2017)

Desculpem ficar tanto tempo sem escrever, como estou trabalhando e estudando, tem sido um pouco corrido. Então, eu cheguei em Portugal há exatamente um ano, três meses e dez dias e durante este período decorrido, eu escrevi em um diário, não sei se será lá muito do interesse de vocês, mas decidi compartilhar aqui alguns momentos mais importantes e impressões que tive a cada mês desde a minha chegada em 2 de Agosto de 2017.

despedida

Nunca chorei tanto em uma despedida.

Agosto de 2017

Gente, o antes foi uma loucura. Mil despedidas das família (talvez a parte mais difícil de todas a nível emocional), tive que fazer uma parada em Marrocos e estava quase tudo em francês, je ne parles pas français, além de que não gostei muito da comida do aeroporto, achei tudo muito precário, especialmente a falta de ar-condicionado e informações em inglês. Mas gostei do fato de não ter nenhum filme com legendas em inglês no avião e eu ser obrigada a fazer uma viagem de mais de nove horas me dedicando a tentar entender os filmes por linguagem de sinais.

Quando cheguei em Portugal, eu estava morrendo de medo de não conseguir sair do aeroporto, de que encontrassem algo errado na minha documentação e todo o dinheiro e tempo envolvido fossem perdidos, então foi um baita ALÍVIO quando saí de lado e vislumbrei o que eu não sabia que seria minha nova vida. Passei os primeiros quinze dias em Tondela, na casa do pai da Lúcia, ainda iríamos assinar contrato com o senhorio do nosso apartamento (Lúcia já estava procurando um há seis meses), então tive todo esse tempo para ponderar e não foi nada fácil, eu estava muito triste nos primeiros dias, com saudades de casa, insegurança quanto ao fato de arrumar emprego, de ir atrás de todos os documentos necessários quando se chega a Portugal. Eu e a Lúcia tivemos que correr com várias coisas: mobília, visto que nosso apartamento não vinha com nenhuma, contratos de luz, água, internet e até comprar um esquentador pra ter água quente (algo que não é nada barato aqui), por sorte, muitos dos móveis eram da mãe da Lúcia, então precisamos comprar mais para nossos quartos e gastamos mais do que devíamos em e decoração da Primark, hehe.

primeiros dias

Comíamos no chão, porque ainda não tínhamos mesa e só comida de microondas, porque também não tínhamos gás.

Também foi o mês em que a Lúcia me sugeriu criar o blog e o canal para ajudar pessoas que estivessem na mesma situação que eu e eu sei que havia muita gente que nem sabia por onde começar, porque eu era exatamente assim.

Fiz muito turismo por Lisboa, na Baixa-Chiado, passava quase todo o meu tempo lá, uma vez que as aulas não tinham começado ainda, que havia muitas lojas, era perto do rio Tejo e tinha uma concentração muito grande turistas, além de ter um restaurante brasileiro pra comer PASTEL e CALDO DE CANA (porém caro, não recomendo).

Sempre almoçamos num restaurante japonês com tudo ilimitado por 10 euros perto das Laranjeiras, compensa MUITO ir até lá em dias de comemoração.

Agosto foi um mês de mudanças, adaptação, mas não de muito amadurecimento, isto aprendemos com setembro, quando começaram a chegar as contas e quando começamos a fazer compras (mas isso conto com mais detalhes no próximo post, se tiverem gostado deste).

Também foi um mês onde revi amigos muito especiais, o que me ajudou muito a superar o sentimento de ”estou completamente sozinha do outro lado do mundo, longe de tudo e todos que conheço”, além de que minhas aulas só começariam no mês seguinte, então ainda não conhecia grande parte dos meus outros amigos aqui. (a Lúcia não conta como amiga, ela é minha família aqui).

Meus maiores gastos na época:

  • Passagem
  • Compra de móveis
  • Aquisição de documentos quando cheguei em Portugal (NIF por exemplo).

 

Coisas que foram novidades para mim na época:

  • Bola de Berlim (é o nosso sonho)
  • Conhecer lojas como Primark e Tiger, onde vende aquelas coisas que só vemos mesmo no Pinterest
  • Conviver com a família da Lúcia, que me mostrou o quão acolhedores e maravilhosos portugueses podem ser
  • Trocar lâmpadas (não tinha no apartamento também, hehe)

 

Uma coisa muito marcante que me aconteceu na época e nunca expus, porque era algo extremamente pessoal, mas também foi um mês onde tive meu coração partido (dramas do jovem adulto).

Foi o mês em que a vida me deu um tapa na cara e disse ”Ou você vira adulta ou você volta pra casa”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s